Thaís, uma jovem de atitude!

thais

Chegou o momento de falarmos sobre mais uma jovem de atitude. Dessa vez, a nossa parada é na Vila A, onde está o grupo de jovens JLJ – Jesus Luz dos Jovens, que recentemente completou 20 anos de vida. Foi lá onde Thaís Fronczak viveu bons anos de sua caminhada cristã, entre 2002 e 2008. Depois disso também fez parte da coordenação da Pastoral da Juventude até 2010.

Atualmente, Thaís é fisioterapeuta no Hospital Costa Cavalcanti e cursa Gastronomia no IFPR.

O começo

“Entrei no grupo em março de 2002. Fiquei sabendo do JLJ através de uma colega de catequese e no outro sábado comecei a participar. E lá fiquei até 2008, quando fui convidada para a Pastoral da Juventude.”

As recordações

“Com certeza minhas melhores recordações são as risadas que a gente dava com coisas tão simples. Sempre vou levar comigo as amizades que formei e todo o aprendizado que eu tive nessa época, e que contribuíram para a formação do meu caráter hoje.”

Os aprendizados

“Aprendi a como lidar com as pessoas, a ser um líder e como tentar sempre fazer o bem sem importar a quem. Neste meio aprendi a trabalhar em equipe e a respeitar uma hierarquia.”

Recado

“Aproveite todas as oportunidades, de fazer amigos, conhecer pessoas, crescer espiritualmente. Não tente pular etapas, aproveite a sua idade e o que você pode fazer com ela. No futuro, você com certeza vai lembrar com muito carinho da época em que era imensamente feliz apenas sentado numa roda de violão, comendo pipoca, voltando a pé de uma missa da PJ ou tomando um tererê no gramadão. <3”

DESPEDIDA 19

Anúncios

Jorge, um jovem de atitude!

Hoje é o dia de conhecermos um pouco sobre os sentimentos e trabalhos prestados por Jorge Taques Junior ao grupo de jovens JUCASFA e à Pastoral da Juventude. Vale a leitura!

jorgeJUCASFA: O convite

“Minha caminhada e trabalho com grupo de jovens iniciou no final de 2002, quando recebi o convite para conhecer o grupo de jovens de uma maneira diferente. Sempre recebi convite de outras pessoas, mas a maneira, o convite em si, era de um tanto quanto diferente (“…tem altas meninas lá…”). Dessa vez não era esse o propósito e o convite veio certo, para participar e conhecer o grupo de jovens JUCASFA porque lá tinha oração, era bem animado e haveria uma gincana no outro dia… a gincana do JUEC… aceitei!”

O início

“Queria ver qual era desse tal de grupo de jovens… fui um sábado anterior a gincana pra ver como que era.. e fui no outro sábado, no outro também e no sábado seguinte… aí em dianete os sábados ficaram marcados por ser o dia do encontro. Qualquer churrasco, qualquer festa, qualquer jantar, seria sempre após o grupo.”

Curso de Liderança Juvenil (CLJ)

“No ano seguinte recebi o convite para fazer o CLJ. Recebi a ficha, vi pessoas mais antigas do grupo se emocionando por ter recebido também a ficha, e eu mal sabia do que se tratava. Conversando com meus pais, eles me deixaram fazer, já que era da igreja. E com o CLJ, dando uma alavancada, eu comecei a enxergar o grupo com outros olhos. O amor pelo meu grupo de jovens e pelas pessoas que estavam comigo naqueles sábados era muito maior.”

Coordenação e os tempos difíceis

“Assumi a coordenação do JUCASFA em 2004, junto com outros dois amigos e meu irmão, onde as reuniões e os integrantes eram formados por essas mesmas quatro pessoas. Alguns meses foram dessa mesma forma, abríamos a salinha do grupo com a reunião pronta, esperando aquelas 30 pessoas que faziam parte do grupo até a nossa coordenação, mas ninguém aparecia. Mas não desistimos, fizemos convites para a comunidade, começamos a chamar amigos e dessa forma o grupo começou a voltar como era antes. Chegamos a participar de gincanas com 4 ou 5 integrantes, e ainda assim, conquistar segundo ou terceiro lugar, o que era muito satisfatório para a gente”.

“Muitas coisas aconteceram, e sonhos concretizados.. O grupo voltou com tudo após algum tempo, e realizamos a 1ª Gincana da Catequese e a nossa tão esperada GINCANA para os demais grupos. Atualmente, o grupo continua com esses projetos além do “Jovem Noel” (ainda não tive a felicidade de contribuir, quem sabe esse ano, né?)”

"O JUCASFA nos tempos azuis"

“O JUCASFA nos tempos azuis”

Jorge e a tecnologia dos anos 2006!

Jorge e a tecnologia dos anos 2006!

O crescimento

“O grupo me ajudou a ter mais senso critico, me auxiliou no crescimento pessoal, espiritual e até mesmo profissional. Sempre fui muito tímido, quieto e tinha pavor com a palavra “apresentação” na escola. E com o passar dos tempos dentro do grupo, onde comecei a dar as reuniões, esse medo de estar na frente de outras pessoas, falando sobre algum tema, já não era tão assustador assim. “

A última gincana de Jorge como "Jucasfa" - JADAS, 2007

A última gincana de Jorge como “Jucasfa” – JADAS, dezembro de 2007

Pastoral da Juventude

“Fiz parte da coordenação do JUCASFA durante 4 anos… e quando estava decidindo em deixar o grupo para pessoas que tinham a mesma paixão e carinho, recebi um novo convite. Era como um chamado de Deus dizendo “Você pode até querer desistir, mas EU não vou desistir de você”.

Recebi um chamado para fazer parte da coordenação da Pastoral da Juventude. Outros 4 anos que nunca sairão de minha memória. Os tempos de grupo, os tempos de Pastoral serão algo que não dá pra ser explicado, apenas vivido. Viver e aprender com o grupo… Fazer amigos em Cristo é a melhor coisa que podemos conquistar. Amigos verdadeiros. Amigos em que você pode confiar e contar o tempo todo. E estes mesmos amigos irão te lembrar que o melhor amigo que você pode ter é CRISTO.”

Na "despedida" como PJ

Na “despedida” como PJ

Paixão de Cristo

“Outro grande aprendizado, e um momento único, que fez e faz a gente relembrar do amor de DEUS por nós, foi a ENCENAÇÃO da PAIXÃO de CRISTO. Três anos seguidos, tive o prazer de interpretar CRISTO, e explicar esse momento e o que sentimos ao relembrar todo o amor e sofrimento Dele, é ÚNICO!”

paixao de cristo 2008

Jorge interpretando o papel de Jesus Cristo no Auto da Paixão de Cristo de 2008.

Valeu a pena?

“Sou grato e não me arrependo dos 9 anos que acompanhei os grupos, sabendo das dificuldades e vitoria, conhecendo as historias de cada grupo e de pessoas que já passaram por ali. Olhar pra trás, e saber que todo o trabalho que foi feito, tem um gosto de satisfação porque pessoas, instrumentos de Deus, amigos nossos, continuam a levar esse mesmo Cristo que conheci para muitos outros jovens. Inovando cada vez mais para que jovens evangelizem outros jovens.”

Um último recado:

“Jovem, se receber um convite de qualquer amigo para conhecer um grupo, lembre-se que este convite não é simplesmente de um amigo. É um convite de Deus para conhecer seu filho amado mais de perto. Parabéns a todos os grupos! São vocês que formam a Pastoral da Juventude e são vocês os nossos anjos de calça jeans e tênis! ;]”

Patrícia, uma jovem de atitude!

Patrícia Guedes, do JAC

Como já dizia o velho poeta, recordar é viver! É nesse clima que hoje iniciamos uma série de entrevistas com pessoas que participaram dos nossos grupos de jovens nos últimos anos. Elas nos contam sobre essa experiência e a importância desta fase em suas vidas.

A primeira entrevistada é Patrícia Guedes Queiroz, hoje casada e professora na rede municipal de ensino. Ela iniciou a sua história no grupo de jovens JAC (Jovens Amigos de Cristo) em 2004 e lá permaneceu por 6 anos. Confira a entrevista completa:

– Quando e por que começou a ir no JAC? Durante quanto tempo participou?

Minha história no JAC começou em 2004, na verdade numa gincana do JADAS que eu e meu irmão fomos de penetras, rs! Mas… como eu nunca havia visitado o grupo, duas pessoas (Osnir e Lucas) insistiram muito para que eu participasse. Aceitei o convite e no sábado seguinte eu estava lá. O tempo foi passando e eu achava que jamais iria me desligar disso tudo. Participei ativamente por mais de 6 anos, mas a vida passa, a gente cresce e é preciso dar um lugarzinho para novos jovens fazerem o seu papel. Hoje sou JAC Sênior`s, uma forma carinhosa de chamar os idosos do grupo! Mas a verdade é que amo meu grupo JAC e cada dia tenho mais orgulho!

“Essa foto (2008) é especial pra mim. Estampa a alegria que eu vivi ao lado dessas pessoas que hoje eu chamo de anjos”.

“Essa foto (2008) é especial pra mim. Estampa a alegria que eu vivi ao lado dessas pessoas que hoje eu chamo de anjos”.

– Quais são as melhores recordações desse tempo?

Logo que comecei a participar do JAC, fui convidada a fazer parte do Curso de Liderança Juvenil (CLJ), uma experiência e um encontro com Deus que só quem é Cljoteiro sabe definir, uma experiência que mudou e marcou demais a minha vida…

Só que na vida nem tudo é mar de rosas, o JAC também passou por muitas dificuldades e era muito difícil aceitar que talvez o grupo pudesse se acabar… Mas o que me vem na memória é que por mais que fossemos a minoria, éramos sempre muito unidos e com certeza as minhas melhores recordações são os amigos que ganhei durante esse tempo. Pessoas iluminadas por Deus que me ensinaram a ser uma pessoa melhor, que me ensinaram a falar sobre Deus e que sempre me deram forças pra seguir a caminhada.

– O que acrescentou em sua vida participar de um grupo de jovens?

Tentar imaginar como seria minha vida sem o JAC é bem difícil. Acredito que seria uma vida normal, sem um sentido verdadeiro, sem um ideal maior. Estar pertinho de Deus e poder falar Dele pra outras pessoas foi gratificante e especial na minha vida. Ser JAC me fez perceber o quanto é bom ter amigos e poder fazer deles nossa própria família. Meu grupo trouxe Deus pra minha vida e foi Ele que acrescentou alegria, paz, esperança, amor e todos os sentimentos que fizeram e que me fazem ser uma pessoa melhor.

“Meu último encontro como participante” (2010)

“Meu último encontro como participante” (2010)

– Qual o seu recado para quem está começando essa caminhada?

Penso eu que todos os jovens deveriam ter a oportunidade de seguir essa caminhada que é abençoada e iluminada por Deus, por isso, acredito que os jovens que estão começando são pessoas especiais, jovens que tem a partir de agora a oportunidade de mostrar ao mundo um amor soberano e sem medidas, que quando achamos que ensinamos, aprendemos, quanto mais doamos, mais recebemos.

A caminhada com Cristo exige responsabilidade onde só quem é líder pode ter. Ser instrumento de Deus na vida das pessoas requer atitude e ação, portanto jovens, sejam fervorosos, pois a caminhada é longa e cheia de pedras, mas a recompensa é enorme e cheia de saudades! Fica aqui as lembranças, as saudades e um recadinho: Estarei sempre por perto, contem sempre comigo!


Fique ligado no blog da PJ! Em breve, “novos velhos conhecidos” contarão aqui um pouco sobre a sua caminhada cristã!