PAIXÃO DE CRISTO: “Interpretar o papel do maior homem que já andou pela terra não tem preço”

Edu, da PJ Guadalupe: pela segunda vez ele interpretará Jesus Cristo no Auto da Paixão de Cristo.

    Quando surgiu o primeiro convite para interpretar Jesus Cristo? Como foi a primeira reação?

A primeira vez que fui convidado a interpretar Jesus foi na encenação da Paixão do ano passado (2012). Isso ocorreu durante uma das nossas reuniões de preparação para os ensaios, meus amigos sugeriram que fosse eu, e com eles me apoiando e me dando essa força não tive como recusar. No começo fiquei muito preocupado. Quanto mais perto chegava do primeiro ensaio mais ansioso eu ficava. No sábado, antes da primeira passagem de cenas eu nem consegui dormir. Tinha medo de não conseguir mostrar a real importância do Cristo através de mim, porém logo ao término desse ensaio a ansiedade e o medo se foram de uma forma que não sei explicar.

Como é interpretar este papel tão importante?

É muito difícil interpretar Jesus, apesar de não ter muitas falas durante a Via Sacra. Tudo tem que ser feito com emoção, os gritos, a respiração pesada e o mais importante, tentar mostrar que foi por nós que Ele sofreu tudo aquilo. Eu creio que sou uma pessoa muito agraciada, por poder fazer o papel do Cristo que tanto tenho orgulhar de levar as pessoas. Interpretar o papel do maior homem que já andou pela terra não tem preço. Me sinto honrado quando vou à missa ou em algum outro evento da igreja e as pessoas dizem: “Olha lá, o menino que fez Jesus!”.

Qual a cena que considera mais marcante?

Existem duas cenas de que gosto muito. A da quarta estação quando Jesus encontra com sua mãe Maria. Acho muito linda essa cena porque mostra o amor que Maria tem por seu filho, e de certa forma o amor que nossas mães tem por nós. Da primeira vez que vi essa cena (há uns 6 anós atráz na Paixão de Cristo que foi realizada na BJM)) pensei comigo que se fosse hoje e fosse comigo, minha mãe teria feito a mesma coisa. Ali percebi que muitas vezes não damos o devido valor a essas pessoas maravilhosas que chamamos de mãe.

A outra cena que gosto e a cena da sétima estação que é a segunda queda de Cristo. Nesse momento mesmo com várias chicotadas e muita humilhação Jesus tenta se levantar por si mesmo. Ele quer com que as pessoas vejam que ele não está sendo obrigado a fazer isso. Ele quer que isso aconteça para que nós sejamos salvos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s